Bastidores, Estados Unidos, Europa

quantidade ou qualidade: como você viaja?

quantidade-ou-qualidade

Finalmente você vai fazer aquela viagem dos sonhos. E agora, roteiro enxuto ou pinga-pinga no maior número de cidades possível?

Há alguns anos, o Marido (na época namorado) e eu fizemos nossa primeira viagem internacional juntos. Quando finalmente resolvemos que iríamos mesmo viajar (o que também pode ser lido como “quando finalmente conseguimos juntar uma grana para viajar”), tivemos de decidir logo de cara: para onde?

O sonho era ir para a Europa, o que nos levou ao velho dilema de muitos viajantes: quantidade ou qualidade?

Basta a gente olhar para o mapa do continente europeu para perceber que a quantidade de opções de destinos é inversamente proporcional ao tempo e verba disponíveis.

analisando quantidade vs. qualidade

Em qualquer viagem, seja ela a primeira, a décima ou a enésima, a gente sempre fica em dúvida entre um roteiro maluco, com o maior número possível de cidades/países em 14 dias, ou priorizar o que realmente se quer ver e aproveitar ao máximo um número limitado de cidades/países.

Cada pessoa tem sua própria linha de raciocínio sobre o assunto, e essa equação tem um monte de variáveis. Uma delas, por exemplo, é se o lugar é muito longe, tipo Ásia ou Oceania. O estilo de viajar de cada um também conta muito, assim como as companhias, o tempo, a verba disponível, etc. Ou seja, é uma decisão extremamente pessoal, com um impacto enorme no resultado.

Mas, se a gente pensar por um minuto, vai perceber que grande parte das escolhas que temos de fazer no nosso dia a dia se resume à qualidade vs. quantidade. E, muitas vezes, nossas decisões estão ligadas ao momento da vida em que nos encontramos.

Por exemplo: não tenho dúvidas de que a Mandis de antigamente preferia comer 10 brigadeiros em vez de 1 pedaço de brigadeirão. Era chocolate, provavelmente os 10 brigadeiros juntos iriam parecer com um pedaço de brigadeirão, mas eram 10 contra 1.

A Mandis de hoje, entretanto, não come chocolate, mas prefere uma xícara de um bom café a vários cafezinhos ruins.

o que a gente decidiu, afinal

É um jeito meio torto de dizer que se o Marido e eu estivéssemos em outra fase da vida quando estávamos decidindo para onde ir, provavelmente teríamos optado por conhecer 20 cidades/países em 14 dias. No final, optamos por conhecer 4 cidades em 3 países (Amsterdã/Holanda, Paris/França, Londres e Liverpool/Inglaterra) e foi a melhor decisão que a gente poderia ter tomado naquele momento.

No caso de uma viagem internacional, é comum bater aquela ansiedade de querer ver o máximo de lugares ao mesmo tempo. #quemnunca

Mas, será que vale a pena? Particularmente, eu acho que não, mas eu tive uma experiência muito ruim neste sentido.

Quando eu passei um ano nos Estados Unidos, como au pair, eu fiz uma viagem pelo oeste do país, que incluía Grand Canyon, Las Vegas, San Francisco, Yosemite Valley, Santa Monica e Los Angeles. Tudo isso em menos de 1 semana, viajando de excursão. Resultado? A gente passava mais tempo dentro do ônibus se deslocando de um canto para outro do que propriamente nos destinos. Basicamente era chegar, fotografar, dar um rolezinho e tchau.

Era uma viagem que tinha tudo para ser muito legal, mas acabou sendo um pouco decepcionante por conta desse pinga-pinga todo. O que não quer dizer que vá acontecer com você.

Na hora de escolher o seu roteiro de viagem, seja realista. Deslocamentos entre atrações/cidades costumam levar muito mais tempo do que aquele estimado em sites especializados (além de serem muito cansativos), então vale a pena enxugar o número de destinos para poder aproveitar melhor o que cada um tem a oferecer.

Sua vez de contar nos comentários: na hora de fazer seus roteiros de viagem, você prefere quantidade ou qualidade, e por quê?

Mandis

Quando eu era criança, adorava ouvir histórias. Gostava tanto que, depois que cresci, decidi que não só iria continuar ouvindo histórias, como também ajudaria a contá-las. Nas horas vagas, vivo minhas próprias histórias e reservo um tempinho para transformá-las em textos, fotos e outras amandices por aí.

Deixe seu comentário!

3 Comments

  1. eu também transformo viagens em maratonas... - Amandices

    […] eu comecei a escrever o último post, a ideia era contar uma outra história, sobre como o cinema me levou aos meus 3 lugares favoritos […]

    22 . mar . 2018
  2. fabio inoue

    Como tiozinho de espírito, qualidade, sempre! 🙂

    26 . mar . 2018
    • Mandis

      Também sou mais da qualidade… 😉

      26 . mar . 2018

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Seguir Amandices

Receba as novidades do Amandices no seu email!

error: Entre em contato para solicitar este conteúdo.